Gato Fedorento

domingo, janeiro 23, 2005

PORTUGAL VAI TER UM RUMO E EU TAMBÉM: Gosto imenso que me digam o que devo e não devo fazer. Constato agradecido, embora não sem surpresa, que há cada vez mais gente interessada em fornecer-me orientações de vida. E quando o autor do ditame é uma pessoa com a estatura de um Paulo Pinto Mascarenhas, percebo que a minha existência pode, finalmente, começar a fazer algum sentido. Escreve PPM n’ O Acidental:

O Bloco Fedorento
Depois de ver o famoso comediante Ricardo Araújo Pereira num encontro do Bloco de Esquerda, pergunto-me se ele é o Gato de Esquerda ou o Bloco Fedorento.
[PPM]
PS. Eu sei que a piada não tem graça nenhuma, não se preocupem, que eu não tenho aspirações a humorista. Só que o humorista também não devia ter aspirações políticas. (…)

Por aqui se vê o desgoverno moral e ético em que andava a minha vida. Em primeiro lugar, devo confessar a minha ignorância: desconhecia que, estando presente num jantar de apoio ao Bloco de Esquerda, eu manifestava uma “aspiração política”. Estava sinceramente convencido de que a minha presença num jantar de apoio exprimia – calculem – a intenção de apoiar. Mas não quero fazer a rábula do ingénuo. Quando aceitei o convite do Bloco para jantar eu tinha, evidentemente, uma aspiração, que era esta: uma digestão sem sobressaltos. Mais concretamente, aspirava ao seguinte: mastigar os víveres, degluti-los, e esperar que estômago e vísceras adjacentes levassem a cabo um trabalho sério e competente. Contudo, em se tratando de um jantar político, as próprias vitualhas ficaram contaminadas de política – e aquela que, numa refeição normal, seria apenas uma aspiração, digamos, digestiva, transformou-se numa aspiração eminentemente política.
E esta constatação leva-me à segunda confissão de ignorância: não fazia ideia de que “o humorista não devia ter aspirações políticas”. Desgraçadamente, não li o Código Deontológico do Humorista (falta da qual aproveito para me penitenciar) e por isso acreditava que, quer para os humoristas, quer para os outros profissionais, valiam as mesmas regras da… Como é que se chama aquilo? Democracia, é isso. Assim sendo, quero agradecer duas vezes a PPM: uma, por me fazer ver que, 30 anos depois do 25 de Abril, ainda há quem deva e quem não deva ter aspirações políticas – e que eu pertenço ao grupo dos que não devem (a não ser, desconfio, que passe a apoiar o partido de PPM); outra, por, ao fim de quase dois anos de blog, me ter dado pretexto para escrever as palavras “víveres” e “vitualhas”, pelas quais nutro particular afeição. Obrigado e obrigado. RAP

posted by Gato 3:03 da manhã

terça-feira, janeiro 18, 2005

AZAR: Da outra criança indonésia que, na manhã do tsunami, escolheu uma t-shirt do Snoopy em vez de uma da selecção portuguesa e que por isso agora não recebe ajuda especial. ZDQ

posted by Gato 1:40 da manhã

segunda-feira, janeiro 17, 2005

RECARREGAR BATERIAS: Ando muito cansado. Preciso urgentemente de uns dias a entregar material usado da RTP a uma televisão de S. Tomé e Príncipe. MG

posted by Gato 3:02 da tarde

Powered by Blogger

 

Um blog com opiniões, nenhuma das quais devidamente fundamentada. Mantido por: Tiago Dores, Miguel Góis, Ricardo de Araújo Pereira e Zé Diogo Quintela. E-mail: gatofedorento@hotmail.com

Past
current