Gato Fedorento

domingo, julho 13, 2003

A TER EM CONTA: A proposta de unir Porto e Gaia numa só cidade tem uma vantagem nada negligenciável: o país ficaria com menos um autarca. RAP
posted by Gato 6:20 da tarde

ME LIGA, PAI: Atravesso uma crise de 1/3 de idade. Às vezes, dou por mim a pegar no telefone para ligar para uma das muitas linhas eróticas e a pensar se é mesmo isso que quero. Será que este substituto do sexo me satisfaz? Não estarei já a precisar de outro estímulo? O meu relógio biológico, em vez de dizer “são horas de ligares à brasileira da voz doce”, começa a sussurrar-me “é mas é altura de constituíres família, pá”.
Em vez de um número para onde ligo para ouvir uma mulher fingir que está a ter relações sexuais comigo, o que eu precisava era de ligar para um número onde uma mulher fingisse que era minha mulher. A conversa podia ser assim:
“- Estou? Querida?
- Amor!
- O que é que estás a fazer?
- O jantar. O teu favorito.
- Como é que estás vestida?
- De avental e chinelos.
- Oh! E a que é que cheiras?
- A refogado. E a bolsado. O mais novo vomitou-me em cima...
- Sim! Sim! E o teu cabelo, como é que está?
- Não tive tempo de ir ao cabeleireiro. Está todo desgrenhado e oleoso.
- Oh, sim! Oh! Mais!"

E era assim até ao clímax.
ZDQ
posted by Gato 2:58 da tarde

AFINAL, A FLORESTA AMAZÓNICA AINDA TEM UMA HIPÓTESE! O Expresso publicou o seu Código de Consulta, “um compromisso com a sociedade”, onde diz, entre outras coisas, que “deve haver o cuidado de não divulgar material impreciso, ao nível do texto ou da imagem, susceptível de induzir em erro ou distorcer os factos” e que “existe o dever de respeitar a privacidade, vida familiar, casa, saúde e correspondência de todo e qualquer cidadão”.
Isto significa que o Expresso, a partir da próxima semana, vai ter o seu tamanho reduzido para um décimo do que é hoje. Ganham os donos dos quiosques, atacados pela espondilose. Ganham as árvores da floresta amazónica, salvaguardadas durante mais alguns anos. ZDQ

posted by Gato 2:56 da tarde

sábado, julho 12, 2003

O JOGO DA MALA: Durante largos segundos, os agentes da PJ que estavam a escutar as chamadas telefónicas de António Preto julgaram que, devido a interferências, estavam a sintonizar a Rádio Renascença. Tudo porque o líder da distrital de Lisboa do PSD só perguntava ao seu interlocutor: “Quanto é que está na mala?” MG
posted by Gato 11:22 da tarde

PEQUENOS EGOÍSMOS: Por vezes, os gestos são tão ritualizados que nem damos conta do egoísmo que os inspira. Um exemplo: vejo uma senhora a sacudir o pano do pó à janela. À primeira vista, trata-se de um gesto anódino. Mas, se pensarmos bem, o que é que esta senhora está realmente a fazer? Está a retirar o pó da sua casa e a despejá-lo no mundo, para o ar que todos nós respiramos. Não está certo. MG
posted by Gato 11:15 da tarde

POBRE STEINWAY E FILHOS: François-René Duchable, um pianista francês (conhecido pelo seu requinte, uma vez que, não só toca piano, como ainda fala francês) anunciou que vai destruir dois pianos no final dos seus próximos concertos, como forma de protesto pelo elitismo da música clássica. O primeiro piano vai ser lançado a um lago. O segundo vai sofrer uma forte explosão. Por fim, o músico está ainda a ponderar a destruição de um terceiro piano, mas através de um método um pouco mais violento: convidar o Duarte Lima para tocar Bach nele. MG
posted by Gato 11:12 da tarde

sexta-feira, julho 11, 2003

MST: Uma das grandes incongruências dos comunistas prende-se com o apoio que dão ao Movimento Sem Terra. É impressão minha ou um dos vossos objectivos, depois da conquista do Mundo, é que ninguém tenha terra? Vamos lá a fazer um brainstorm para estabelecer directivas, camaradas. ZDQ
posted by Gato 2:58 da manhã

quarta-feira, julho 09, 2003

SAMPAIO A APRENDER COM FERNANDO ROCHA: Num discurso sobre as divisões provocadas pela elevação de algumas freguesias a concelho, Jorge Sampaio perdeu a cabeça e pontuou uma das suas frases com um radical “caramba!” (já Cavaco preferia um “safa!”, lembram-se?). A experiência foi um sucesso. Durante dois ou três segundos, o presidente captou a atenção dos presentes. MG
posted by Gato 10:10 da manhã

DEUS EMBIRRA COM UMA CASA MAL LIMPA: No último Herman Sic, uma das convidadas, de seu nome Madalena Fonseca, contou que sofria de doença de Parkinson até começar a rezar à Venerável Alexandrina, de Balasar, Póvoa de Varzim. Escusado será dizer que ficou curada. (A lógica mediática acaba por só levar à televisão quem diz ter sido objecto de cura milagrosa, cumprindo assim a conveniente função do reforço da fé. Aqueles que, apesar das insistentes preces, acabam por falecer, nunca são convidados para este tipo de programas.) Questionada sobre o que pediu a Deus, a empregada doméstica declarou que tinha tentado sensibilizar Nosso Senhor para a inconveniência que seria a sua morte para as suas patroas. Estou mesmo a imaginar Deus indeciso, a pesar os prós e os contras: “Deixo esta senhora morrer ou faço um milagre? Hum... É melhor fazer um milagre. Afinal de contas, é tão difícil arranjar boa criadagem, hoje em dia...” MG
posted by Gato 10:07 da manhã

terça-feira, julho 08, 2003

AS SEBENTAS DA POLÍTICA PORTUGUESA: Pouca gente saberá da sua existência, mas há dois pequenos livros editados em segredo pela Assembleia da República e de circulação restrita (apenas acessível a deputados e governantes) que, desde 1974, regem o discurso político nacional. O primeiro desses livros está na posse do executivo; o segundo está nas mãos do maior partido da oposição. Qualquer declaração política, por mais espontânea que pareça, é invariavelmente retirada destes documentos.
Nos períodos de transição governativa, em que o maior partido da oposição sobe ao poder e o partido do governo é remetido para a oposição, realiza-se, na obscura cave do parlamento, uma pequena cerimónia em que as duas maiores instituições partidárias procedem à troca dos livros.
Aqui fica uma súmula do seu conteúdo:

LIVRO DO GOVERNO: “A oposição só sabe criticar, em vez de apresentar propostas concretas. Deixem-nos trabalhar!”
LIVRO DA OPOSIÇÃO: “Este governo está tão acomodado ao poder que já apresenta uma atitude anti-democrática face às críticas que lhe são dirigidas.”
LIVRO DO GOVERNO: “O país precisa é de estabilidade.”
LIVRO DA OPOSIÇÃO: “Exigimos a demissão do Ministro da Agricultura.”
LIVRO DO GOVERNO: “Enquanto a oposição fala, este governo faz.”
LIVRO DA OPOSIÇÃO: “O governo só apresenta ao país obras de fachada.”
LIVRO DO GOVERNO: “A situação que herdámos do anterior governo é a principal razão do estado caótico em que se encontram as contas públicas.”
LIVRO DA OPOSIÇÃO: “Não façam do passado o bode expiatório para as vossas dificuldades.”
LIVRO DO GOVERNO: “A crise interna está intimamente relacionada com a conjuntura económica internacional.”
LIVRO DA OPOSIÇÃO: “A política económica deste governo consiste, somente, em aguardar pela recuperação económica internacional.”
LIVRO DO GOVERNO: “Quando tomámos o poder, encontrámos inúmeros cargos da administração pública ocupados por militantes do partido que formava o governo.”
LIVRO DA OPOSIÇÃO: “Os membros deste governo estão a espalhar pelos cargos da administração pública militantes do seu partido.”
LIVRO DO GOVERNO: “É ridículo como o maior partido da oposição anda a reboque de um pequeno partido, pertencente ao mesmo espectro político.”
LIVRO DA OPOSIÇÃO: “Este governo está definitivamente a governar ao sabor dos lobbys.”
LIVRO DO GOVERNO: “Eu não o interrompi, por isso agora não me interrompa.”
LIVRO DA OPOSIÇÃO: “Eu não o interrompi, por isso agora não me interrompa.”

É certo que houve algumas nuances, mas a verdade é que alguns destes pontos foram inevitavelmente abordados durante o debate da semana passada sobre o Estado da Nação. Aliás, outra coisa não seria de esperar, visto que os líderes partidários desencorajam o improviso e a criatividade. Escusado será dizer que, se a classe política for confrontada com estes livros, negará veementemente a sua existência. MG
posted by Gato 5:29 da tarde

segunda-feira, julho 07, 2003

OS E.U.A. EM REFLEXÃO: Os Estados Unidos estão em estado de choque. A polícia prendeu três adolescentes que se preparavam para pôr em prática um plano que passava por assassinar três colegas de escola e, posteriormente, pessoas ao acaso na zona de New Jersey. Também o Presidente George W. Bush ficou consternado com esta notícia, tendo inclusive feito um comunicado ao país no qual referiu:

Caros concidadãos. A nossa sociedade está doente. Como é que nós estamos a educar os nossos filhos? Alguma coisa tem de estar muito errada quando, em pleno século XXI, há jovens cuja vida é comandada por um sentimento de ódio e falta de respeito pelo próximo, na nossa querida América. A questão que todos nos devemos colocar, e que eu próprio coloco, é a seguinte: o que é que raio estes pirralhos assassinos ainda estão a fazer em New Jersey, c******? Mandem-nos imediatamente para o Iraque, para ver se eles limpam o sebo àqueles f***** da p*** daqueles lambe-c** do c***** do Saddam, porra!

(discurso traduzido por Gato Fedorento). TD

posted by Gato 11:44 da tarde

ALGUM RIGOR: Desmancho-me a rir cada vez que leio nos jornais que o processo X está a correr no tribunal Y. Meus amigos, estão a falar da justiça portuguesa. Façam o favor de passar a escrever: “o processo X está a coxear no tribunal Y”. MG
posted by Gato 11:19 da tarde

O TESTE PSICOTÉCNICO CONFIRMARÁ: A Inês Serra Lopes devia abandonar definitivamente o jornalismo. Estou convencido que ela se realizava mais, em termos profissionais, se fosse dirigir uma agência de sósias. MG
posted by Gato 11:16 da tarde

CHILLI SEASON: Ao contrário dos outros fedorentos, tenho tido alguma dificuldade em escrever. Para eles é fácil: entrámos na silly season e não lhes falta assunto. Para mim é complicado: este fim-de-semana, entrei inadvertidamente na chilli season, e é difícil estar mais de cinco minutos sentado à frente do computador. ZDQ
posted by Gato 10:34 da tarde

Powered by Blogger

 

Um blog com opiniões, nenhuma das quais devidamente fundamentada. Mantido por: Tiago Dores, Miguel Góis, Ricardo de Araújo Pereira e Zé Diogo Quintela. E-mail: gatofedorento@hotmail.com

Past
current